Lisandro Amaral

Sobre:

O álbum, À Moda Antiga lançado originalmente em 2001 pelo escritor, cantor e compositor Lisandro Amaral, reproduz recortes de dias reais nas estâncias, piquetes e potreiros urbanos do sul do Brasil. Onde a economia se alicerça na pecuária, onde os costumes campeiros e as medicinas rurais, forjam o estilo de vida do homem e da mulher do campo.
É nestes lugares onde a simplicidade e a sabedoria empírica são hereditárias e tradição é passar adiante o ensinamento para os próximos.
Onde observar a natureza diariamente é fundamental para organizar e decidir o outro dia de serviço.
Hoje, 20 anos depois entendemos que essa obra foi escrita e musicada para que pudéssemos enxergar mais além do que se vê no parapeito da estância, para sabermos dos costumes criadores, da peonada, do capataz, da cozinheira, dos domadores… arrabaldes, dos corredores com pitangas pelos caminhos de volta à cidade, da carne pro consumo cultivada no pátio, do milho plantado no potreiro, da galinha, da vaca tambeira, da changa tratada, dos mormaços e das chuvas, que alteram e influenciam o cotidiano destes seres.
Este testemunho cancioneiro de Lisandro Amaral, nos convida a um recorte um pouco mais aprofundado sobre o campo e seus elementos e, de certa forma distante da varanda da casa grande, pois para escrever e cantar À Moda Antiga, é preciso saber a importância destes gaúchos e gaúchas para o setor primário e, esta revisita ao álbum, 20 anos depois é dedicada àqueles tantos que já cruzaram caminhos, curaram bichos, abriram e fecharam porteiras, cuidaram das crianças e estenderam potradas para o bem das estâncias e, fundamentalmente, para a manutenção e entendimento do que é e como é a movimentação cultural do nosso povo…

Data: 29/08 às 11h

Ingresso: Evento encerrado

Dias
Horas
Minutos

Apoiador: